Tecnologias sociais contribuem para a segurança hídrica e desenvolvimento local em Pernambuco

Concluímos 2022 com a finalização de projetos que integram o Programa Echosocial Ventos que Transformam, da Echoenergia (Grupo Equatorial Energia) nos municípios Caetés, Capoeiras e Venturosa, em Pernambuco. 

As tecnologias sociais implementadas contemplaram a área de segurança hídrica e educacional. Foram definidas após realizarmos um Diagnóstico Socioambiental com a participação de moradores das próprias comunidades.

O Diagnóstico Socioambiental apresentou o acesso à água como desafio central para o fortalecimento da agricultura familiar nas comunidades localizadas nos municípios Caetés e Capoeiras. Já no município Venturosa, concluiu-se que o acesso à educação era um dos principais desafios e entrave ao desenvolvimento local. O projeto incluiu obras para aprimoramento do espaço físico da Escola Municipal de Ensino Fundamental Manoel Alves de Araújo, na comunidade Grotão; e, atividades formativas para qualificação dos professores e complementação educacional dos estudantes.

A escassez de água atinge inúmeras famílias residentes em comunidades rurais no Semiárido brasileiro e gera impactos socioeconômicos e ambientais em larga escala. Olhando para esse contexto, temos atuado fortemente na garantia de implementação de tecnologias que garantam às famílias de comunidades rurais o acesso a água de forma segura para o consumo humano, a produção de alimentos e a criação de animais.

Por meio do Programa Echosocial Ventos que Transformam implementamos 389 instrumentos de garantia de segurança hídrica, como cisternas de placas, barreiros, trincheiras, tanques em lajedo de pedra e reservatórios elevados. 

Iraneide Tavares, da comunidade pernambucana Quitonga, do município de Caetés, foi uma das beneficiadas. Em novembro de 2021 recebeu uma cisterna na qual reserva água das chuvas e utiliza para o consumo da família. “Se não fosse a cisterna, a gente teria que comprar água para beber. Agora, com a cisterna, a gente fica menos preocupada de faltar água e consegue comprar mais comida”.

Além das tecnologias de captação e reserva de água, foram instalados dispositivos Aqualuz para torná-la potável. Essa tecnologia utiliza a luz solar para retirar as impurezas da água, tornando-a própria para consumo humano. Segundo o nosso Diretor de Novos Negócios, Wagner Gomes, as tecnologias influenciam na vida das pessoas do campo. “As famílias que antes passavam por grandes dificuldades, como ter que andar grandes distâncias para ter acesso aos recursos hídricos, hoje desfrutam dos benefícios de ter água próximo às suas casas.

Vale destacar que essas tecnologias socioambientais têm um foco estratégico na agricultura familiar por provocar a melhoria na segurança alimentar através da garantia de água para a produção de alimentos. Acreditamos que essas ações de segurança hídrica e educação vão contribuir para transformar cada vez mais a realidade do Semiárido, garantindo uma melhor qualidade de vida para crianças e adolescentes, e aos  agricultores e agricultoras. 

Compartilhar:

Notícias relacionadas